Última actualização08:35:09 PM GMT

TERCUD

 
 
Está aqui: Grupos I&D
 
 

GEOGRAFIA DOS RISCOS NATURAIS E TECNOLÓGICOS

Área de interesse: qualificação de recursos humanos
Nas sociedades actuais, a crescente necessidade de ser dada uma resposta eficaz e efectiva a problemas derivados da imprevisibilidade de riscos e catástrofes de natureza ambiental e tecnológica, exige o desenvolvimento dos recursos humanos, ou seja, o fortalecimento das qualificações e competências profissionais, necessárias para a protecção civil, em que o país apresenta debilidades estruturais.
Qual a relevância da Geografia?
A Geografia pode proporcionar contributos importantes de forma a alcançar os objectivos da protecção civil em várias áreas, tais como:
- Na avaliação biofísica do território, onde está demonstrada a importância do estudo dos fenómenos naturais como as cheias, sismos, fogos florestais, entre outros, a identificação da paisagem, a geomorfologia, a vegetação, a identificação de padrões da população (fluxos, concentração, actividades), a importância da monitorização ambiental e da identificação de elementos em risco (infra-estruturas, património).
- Nas aplicações de Tecnologias de Informação Geográfica, onde se sublinha a necessidade de espacializar os fenómenos, de simular cenários e prever ocorrências, de definir sistemas de alerta, de proceder ao zonamento territorial, enfim, de produzir cartografia direccionada para a gestão/prevenção da emergência.
- No planeamento do território, onde se identifica como essencial a definição de áreas de risco, de áreas de intervenção específica, a localização de equipamentos, de actividades, acessibilidades, e a produção de documentos legais (planos de emergência, planos directores municipais, entre outros).
(A este propósito, pode consultar-se a Síntese das Comunicações (*.pdf) apresentadas na 15ª edição do GeoForum, organizado pelo TERCUD, a 25 de Junho de 2005)
Qual o contributos dos Geógrafos?
Os Geógrafos podem adquirir diferentes competências necessárias para o funcionamento eficiente e continuo fortalecimento da protecção civil, tais como:
- Integrar equipas multidisciplinares tendo em vista a realização de estudos e projectos na área da protecção civil, inclusive quando aplicada ao ordenamento do território.
- Proceder a avaliações criteriosa dos níveis de eficácia e de eficiência na aplicação de programas de política especificamente incidentes sobre a protecção civil.
- Elaborar planos suportados em regras técnicas e profissionais, e directivas nacionais e comunitárias relacionadas com a problemática da construção do ordenamento do território, incluindo a dimensão da protecção civil.
- Aplicar a metodologia do planeamento estratégico territorial, tendo em vista a sua integração em equipas que elaborem estudos de Avaliação Estratégica de Impactes.
- Conhecer as políticas públicas e os processos de elaboração, implementação e avaliação das mesmas, com destaque para as que se relacionam com a protecção civil.
- Participar na concepção e avaliação de projectos de planeamento sectorial.
- Operacionalizar a integração dos objectivos e valores da protecção civil no fortalecimento e (re)valorização da identidade territorial nas políticas e intervenções que visam promover o desenvolvimento local e regional.
Investigadores
AMORIM, Ana Maria T., M.A.
LUÍS, Pedro R. Alves, B.A.
LEITÃO, Nuno Manuel P., M.A.
PRAZERES, Sérgio, B. A.
PIRES, Patricia, M.A.
RODRIGUES, António José M., B.A.
CORTEZ, Susana, B.A.
Projectos de Investigação Nacionais - Em execução
[2008 - 2011] GEORISK - CONTRIBUTOS DAS CIÊNCIAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA PARA A MITIGAÇÃO DOS RISCOS NATURAIS

 

objetivos


Nas sociedades atuais, a crescente necessidade de ser dada uma resposta eficaz e efetiva a problemas derivados da imprevisibilidade de riscos e catástrofes de natureza ambiental e tecnológica, exige o desenvolvimento dos recursos humanos, ou seja, o fortalecimento das qualificações e competências profissionais.

Neste contexto, os objetivos gerais que norteiam este Grupo de Investigação relacionam-se com a implementação e disseminação de políticas orientadas para a área da proteção civil e para o ordenamento do território, de forma a:

- Estabelecimento e divulgação de suporte científico como contributo para a superação das fragilidades estruturais em Portugal, na área da Proteção Civil (ver Projetos Nacionais, Publicações e GeoForum).

- Promoção e estabelecimento de redes de cooperação internacionais, no âmbito da investigação e formação na área da proteção civil (ver Projetos Internacionais).

- Ampliação e fortalecimento das competências e qualificações profissionais necessárias para a proteção civil em Portugal, para os países de Língua Portuguesa em África (PALOP) e em outros países através da atual oferta formativa (ver Departamento de Geografia).

 

Já os objetivos específicos deste Grupo de Investigação são:

- Compreender e prever os fatores e circunstâncias determinantes num contexto de risco, bem como identificar e enquadrar as medidas preventivas e reativas.

- Identificar vulnerabilidades associadas à ocorrência de riscos e os respetivos impactos no território.

- Reforçar a articulação dos SIG com a necessidade de criar dispositivos de prevenção e minimização de riscos.

- Promover a monitorização, prevenção e mitigação dos aspetos relacionados com os riscos naturais e tecnológicos.

- Verter para as políticas de ordenamento do território, as questões que mais de perto se relacionam com os riscos naturais e tecnológicos.

- Contribuir para a discussão e divulgação das temáticas relacionadas com os riscos naturais. 

 

A Geografia pode proporcionar contributos importantes de forma a alcançar os objetivos da proteção civil em várias áreas, tais como:

- Na avaliação biofísica do território, onde está demonstrada a importância do estudo dos fenómenos naturais como as cheias, sismos, fogos florestais, entre outros, a identificação da paisagem, a geomorfologia, a vegetação, a identificação de padrões da população (fluxos, concentração, atividades), a importância da monitorização ambiental e da identificação de elementos em risco (infraestruturas, património).

- Nas aplicações de Tecnologias de Informação Geográfica, onde se sublinha a necessidade de espacializar os fenómenos, de simular cenários e prever ocorrências, de definir sistemas de alerta, de proceder ao zonamento territorial, enfim, de produzir cartografia direcionada para a gestão/prevenção da emergência.

- No planeamento do território, onde se identifica como essencial a definição de áreas de risco, de áreas de intervenção específica, a localização de equipamentos, de atividades, acessibilidades, e a produção de documentos legais (planos de emergência, planos diretores municipais, entre outros).

 

Os Geógrafos podem adquirir diferentes competências necessárias para o funcionamento eficiente e contínuo fortalecimento da proteção civil, tais como:

- Integrar equipas multidisciplinares tendo em vista a realização de estudos e projetos na área da proteção civil, inclusive quando aplicada ao ordenamento do território.

- Proceder a avaliações criteriosa dos níveis de eficácia e de eficiência na aplicação de programas de política especificamente incidentes sobre a proteção civil.

- Elaborar planos suportados em regras técnicas e profissionais, e diretivas nacionais e comunitárias relacionadas com a problemática da construção do ordenamento do território, incluindo a dimensão da proteção civil.

- Aplicar a metodologia do planeamento estratégico territorial, tendo em vista a sua integração em equipas que elaborem estudos de Avaliação Estratégica de Impactes.

- Conhecer as políticas públicas e os processos de elaboração, implementação e avaliação das mesmas, com destaque para as que se relacionam com a proteção civil.

- Participar na conceção e avaliação de projetos de planeamento sectorial.

- Operacionalizar a integração dos objetivos e valores da proteção civil no fortalecimento e (re)valorização da identidade territorial nas políticas e intervenções que visam promover o desenvolvimento local e regional.

 

Considerando os objetivos gerais e específicos deste Grupo de Investigação, sobressaem como principais contributos e atividades, os seguintes aspetos:

- Publicação de artigos científicos e/ou outros trabalhos apresentados em congressos (ver Publicações).

- Organização de conferências científicas, seminários e outros eventos nacionais e internacionais (ver GeoForum, GeoWorkshop e Viagens de Estudo).

- Melhoria e adequação da formação ministrada no Departamento de Geografia (ver Departamento de Geografia).

- Estabelecimento de parcerias académicas e técnico-operacionais.


INVESTIGADORES

AMORIM, Ana, M.A.

CARVALHO, Luís, M.A.

CORTEZ, Susana, B.A.

COSME, António, B.A.

LEITÃO, Nuno, M.A.

LUÍS, Pedro. B.A.

MATIAS, Magda, M.A.

PRAZERES, Sérgio, B.A.

Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

 

PROJETOS DE INVESTIGAÇÃO NACIONAIS - EM EXECUÇÃO

[2007-2015]: "CONTRIBUTOS DAS CIÊNCIAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA PARA A MITIGAÇÃO DOS RISCOS NATURAIS"

 

PROJETOS DE INVESTIGAÇÃO intERNACIONAIS - EM EXECUÇÃO

[2010-2015]: "CAMPANHA LOCAL UN-ISDR 2010-2015 SEMPRE EM MOVIMENTO, AMADORA É RESILIENTE!" (Financiamento: UN-ISDR “World Disaster Reduction Campaign / Making Cities Resilient: My City is Getting Ready”) em parceria com o Município da Amadora

 
 
 
 

Pesquisa

English (United Kingdom)Português (pt-PT)
 
 
 
 
<-- GA VM --><-- GA VM -->