Última actualização08:35:09 PM GMT

TERCUD

 
 
Está aqui: Geografia dos Riscos Naturais e Tecnológicos
 
 

Projeto: Campanha Local UN-ISDR 2010-2015 “Sempre em Movimento, Amadora é Resiliente!”

 

Financiamento:

- Município da Amadora

Coordenação:

- Luís Carvalho (coord. geral)

- Nuno Leitão (coord. TERCUD)

Membros da equipa:

- Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar ; Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar ; Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar ; Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar ; Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar ; Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar ; Sérgio Prazeres.

 

Objetivos

O objetivo geral do projeto pode ser definido como a realização de uma campanha de âmbito local, enquadrada cientificamente, que pretende estabelecer comunidades urbanas resilientes e sustentáveis, onde participam uma série de agentes locais que devem tomar medidas de forma a reduzir a exposição a riscos e catástrofes. A longo prazo, pretende-se capacitar e sensibilizar o maior número de agentes e atores territoriais possível, sobretudo ao nível local, de forma a investirem mais na redução da exposição a riscos naturais, tecnológicos ou mistos, bem como procurar incorporar essa experiência em planos de desenvolvimento urbano e regional.

 

Ações que contribuem para a redução de riscos

Nos últimos anos o Município da Amadora tem investido, de uma forma eficaz e responsável, nos domínios que caracterizam os vários momentos da catástrofe: a preparação, o socorro e a recuperação.

Ao nível da preparação, o Município da Amadora através do Serviço Municipal de Proteção Civil, tem desenvolvido vários mecanismos de alerta e aviso às populações face a situações meteorológicas adversas. São elaborados comunicados de 3 em 3 dias com toda a informação meteorológica e da qualidade do ar, avisos meteorológicos e alertas da proteção civil.

Às entidades com responsabilidades na prevenção e preparação da população e da cidade (Bombeiros, Cruz Vermelha, Divisão de Higiene e Salubridade, Juntas de Freguesia), são emitidos SMS com informação atualizada sobre as condições meteorológicas adversas, para que as mesmas possam acionar os mecanismos de prevenção antecipadamente.

Recentemente, o Serviço Municipal de Proteção Civil da Amadora, adquiriu uma Estação Meteorológica Profissional Digital, para apurar com mais exatidão as condições meteorológicas e emitir com rigor avisos meteorológicos à população em geral.

Ainda dentro do contexto da preparação, destaque para o projeto de formação e sensibilização à comunidade escolar, intitulado "Clube de Proteção Civil", que aborda as temáticas do risco existente na Amadora (ex.: risco sísmico e zonas inundáveis) e identifica as medidas de autoproteção. Em média são realizadas 75 a 100 sessões de formação e sensibilização.

Atualmente a Amadora dispõe de uma base de ocorrências que lhe permite identificar os locais com um risco acrescido e elaborar planos de intervenção e de emergência com vista a minimizar danos económicos e perdas humanas. A análise das ocorrências tem permitido uma antecipação das diversas autoridades ao aumento do risco.

No que respeita à recuperação, a população afetada por situações de desastres naturais ou tecnológicos, é de imediato alojada e lhes dada todas as condições, através da coordenação de várias entidades da Câmara Municipal da Amadora (Gabinete de Ação Social, Departamento de Habitação, Serviço Municipal de Proteção Civil, Bombeiros Voluntários da Amadora, Cruz Vermelha Portuguesa).

Em relação aos aspectos pouco desenvolvidos e que carecem de uma aposta mais efectiva, destaque para a ausência de um orçamento restrito a incentivos às familias e comunidade em geral para a redução das várias tipologias de risco. A única rubrica orçamental de investimento que existe está relacionada com a formação da comunidade escolar.

Relativamente o ao reforço de infraestruturas fundamentais ao socorro (hospitais, bombeiros, policia, proteção civil, escolas) tem existido uma preocupação crescente das mesmas terem o seu plano de emergência atualizado, um trabalho realizado entre os diversos serviços municipais. Falta, no entanto, a avaliação das condições estruturais em alguns destes edifícios para fazer face aos desastres, como por exemplo sismos.

De referir que tem existido um esforço continuado para que possa existir na Amadora uma cultura de segurança e prevenção. Apesar das limitações existentes, quer ao nível técnico quer ao nível de recursos humanos, as diversas instituições locais tem feito um esforço notório para que se reduza a vulnerabilidade da população, alertando-a para não ocupar zonas de risco. O planeamento de emergência para o risco sísmico e a carta das zonas inundáveis, são um bom exemplo disso mesmo, onde se efetuou a análise do risco (zonamento de áreas criticas) e o planeamento para uma situação de emergência.

De destacar ainda o inicio do processo da Agenda 21 local, que permitirá a adoção de um conjunto de medidas ambientais, nas quais se destacam as boas práticas do planeamento e redução de riscos naturais e tecnológicos. O envolvimento de toda a comunidade local será um ganho importante no que respeita à resiliência da cidade da Amadora.

Por último, referir o envolvimento de vários parceiros institucionais, nomeadamente da área científica e académica, que tem desenvolvido diversas soluções e iniciativas para que a população e a cidade da Amadora estejam melhor preparadas para cenários de desastres naturais e tecnológicos.

 

Atividades

No âmbito deste projeto, pode elencar-se o desenvolvimento das seguintes atividades:

- Visita de Estudo ao Município da Amadora (Julho de 2011).

- Participação na 5ª Edição do Curso Livre de Fundamentos em Proteção Civil (Março de 2012).

- Participação em eventos de índole científica:

* VI Conferência "Dia Internacional para a Redução de Desastres Naturais" (Outubro de 2011).

* 48º GeoForum "O contributo da Universidade Lusófona para o Projeto Amadora Resiliente | Campanha United Nations - Internacional Strategy for Disaster Reductions 2010-2015" (Abril de 2012).

* VII Conferência "Dia Internacional para a Redução de Desastres Naturais" (Outubro de 2012).

* 55º GeoForum "Discovering the World Through GIS" (Novembro de 2012).

 

Publicações

Borges, D., & Carvalho, L. (2012). Inundações Urbanas. 48º GeoForum: O contributo da Universidade Lusófona para o Projeto Amadora Resiliente | Campanha United Nations - Internacional Strategy for Disaster Reductions 2010-2015. Bragança.

Carvalho, L. (2012). Amadora Local Campaign. 3rd Meeting of the European Forum for Disaster Risk Reduction (EFDRR) (pp. 1-24). Dubrovnik, Croatia: UN-ISDR.

Carvalho, L. (2012). Amadora Local Campaign. Training of Trainers on the Role of Local Governments in Making Cities More Resilient to Disasters (pp. 1-74). Lebanon: UN-ISDR.

Carvalho, L., & Leitão, N. (2012). Projeto Amadora Resiliente e participação da ULHT. 48º GeoForum: O contributo da Universidade Lusófona para o Projeto Amadora Resiliente | Campanha United Nations - Internacional Strategy for Disaster Reductions 2010-2015. Bragança.

Carvalho, L., Leitão, N., Oliveira, A., Borges, D., Santos, J., Rocha, M., . . . Rodrigues, V. (2013). Histórico de Ocorrências no Município da Amadora, 2000-2010. Normais Climatológicas da Amadora, 1915-2012

Carvalho, L., Leitão, N., Oliveira, A., Borges, D., Santos, J., Rocha, M., . . . Rodrigues, V. (2013). Histórico de Ocorrências no Município da Amadora, 2000-2010. Normais Climatológicas da Amadora, 1915-2012. Amadora: Serviço Municipal de Proteção Civil da Amadora & TERCUD - Centro de Estudos do Território, Cultura e Desenvolvimento.

Leitão, N. (2012). Normais Climatológicas. 48º GeoForum: O contributo da Universidade Lusófona para o Projeto Amadora Resiliente | Campanha United Nations - Internacional Strategy for Disaster Reductions 2010-2015. Bragança.

Leitão, N. (2012). Workshop: Recolha, Tratamento e Análise de Dados Climáticos. VII Conferência: Dia Internacional para a Redução de Desastres Naturais, (pp. 1-75). Amadora.

Leitão, R. (2011). Concelho da Amadora: Movimentos de Massa, 2000-2010. VI Conferência: Dia Internacional para a Redução de Desastres Naturais. Amadora.

Leitão, R. (2012). Movimentos de Terreno. 48º GeoForum: O contributo da Universidade Lusófona para o Projeto Amadora Resiliente | Campanha United Nations - Internacional Strategy for Disaster Reductions 2010-2015. Bragança.

Leitão, R., & Fonseca, C. (2012). Modelação e validação da susceptibilidade a movimentos de terrenos no município da Amadora. 55º GeoForum: Discovering the World Through GIS. Lisboa.

Santos, J. M., & Pinheiro, S. (2011). Concelho da Amadora: Acidentes Rodoviários, 2000-2010. VI Conferência: Dia Internacional para a Redução de Desastres Naturais. Amadora.

Santos, J. M., & Pinheiro, S. (2012). Acidentes Rodoviários. 48º GeoForum: O contributo da Universidade Lusófona para o Projeto Amadora Resiliente | Campanha United Nations - Internacional Strategy for Disaster Reductions 2010-2015. Bragança.

 
 
 
 

Pesquisa

English (United Kingdom)Português (pt-PT)
 
 
 
 
<-- GA VM --><-- GA VM -->